Início Conselho Brasileiro de Oftalmologia








15 usuário(s) online



Busca  
Login  






15/5/2006
Doação de órgãos: ABTO esclarece dúvidas mais comuns

A ABTO (Associação Brasileira de Transplante de Órgãos), uma sociedade médica civil, sem fins lucrativos, tem como objetivo principal estimular o desenvolvimento de todas as atividades relacionadas com os transplantes de órgãos no Brasil. Para isso, difunde para o público o significado humanitário, científico, e moral da doação de órgãos para transplante "A mesma sociedade que doa órgãos é a que recebe", comenta a presidente da ABTO, Dra. Maria Cristina Ribeiro de Castro.

Algumas dúvidas permeiam a mente da população quando o assunto é doação de órgãos. Desde questões financeiras até religiosas. O Brasil tem uma lista de 60 mil pessoas aguardando por um transplante, e a maioria não consegue ser atendida por falta de órgãos.

Os potenciais doadores são em geral, pacientes internados nas UTIs (Unidades de Terapia Intensiva) com morte encefálica, geralmente vítimas de traumatismo craniano ou AVC (derrame cerebral). A retirada dos órgãos é realizada em centro cirúrgico, como qualquer outra cirurgia e somente com a autorização dos familiares o paciente será um doador de órgãos. Para ajudar a família na hora dessa decisão, é importante que as pessoas expressem para a família, a vontade de ser um doador.

Coração, pulmões, fígado, rins, pâncreas e intestino são os órgãos que podem ser doados após a morte. Além disso, utilizam-se também os seguintes tecidos: córneas, parte da pele não visível, ossos, tendões e veias. A doação pode ser de todos ou apenas de alguns desses órgãos e tecidos.

Existe também a doação em vida. Por lei, pais, irmãos, filhos, avós, tios, primos e cônjuges podem ser doadores. Já os não-parentes só podem ser doadores com autorização judicial. Antes da doação é feita uma avaliação completa para garantir que a pessoa pode doar com segurança. O rim, a medula óssea e parte do fígado e pulmão são os órgãos que podem ser transplantados nesse tipo de doação.

Para ser um doador é preciso informar a família sobre o desejo de ser doador de órgãos. Não é necessário qualquer registro em nenhum documento. O mais importante é comunicar em vida a vontade pela doação.

Mais informações no

www.abto.org.br

Fonte: Sintonia Comunicação



           


<< Anterior Índice Próximo >>


Mais Recentes:
07/10/09 - 64% dos cegos do mundo são mulheres
07/10/09 - Diagnóstico precoce é essencial para evitar as doenças da visão
06/10/09 - Lentes de contato: mitos e descuidos que valem os olhos da cara
05/10/09 - Exercício físico é benéfico para pessoas com glaucoma
02/10/09 - Macacos daltônicos voltam a perceber as cores em tratamento


As opiniões expressas no texto acima são de responsabilidade exclusiva dos seus autores.