Início Conselho Brasileiro de Oftalmologia








12 usuário(s) online



Busca  
Login  






6/1/2009
Estatinas e reações oculares

Estudo encontra relação entre o uso das estatinas e reações oculares adversas

O uso das estatinas, grupo de drogas utilizadas para tratamento das dislipidemias, podem induzir o desenvolvimento de diplopia, ptose e oftalmoplegia, de acordo com um estudo que avaliou as reações adversas aos medicamentos.

Dados coletados dos relatórios da National Registry of Drug-Induced Ocular Side Effects, instituto americano de registro dos efeitos colaterais oculares das drogas, da World Health Organization, Organização Mundial de Saúde, e de pesquisadores da U.S. Food and Drug Administration, órgão americano regulamentador de alimentos e remédios, foram compilados para o estudo de 256 casos de diplopia, ptose e oftalmoplegia relativos às estatinas. A idade média dos analisados era de 64.5 anos. Os relatórios consideraram o uso da atorvastatina (68 casos), da cerivastatina (17 casos), da fluvastatina (oito casos), da lovastatina (39 casos), da pravastatina (46 casos), da rosuvastatina (cinco casos) e da sinvastatina (73 casos).

O intervalo médio do começo do uso da estatina à emergência de reações oftalmológicas da droga foi de três meses e meio, de acordo com os 113 relatórios em que a duração da terapia foi analisada. O total de casos de oftalmoplegia foi de 23 incidentes; a ptose isolada foi encontrada em 20 casos analisados e havia 13 relatórios da ptose combinada com a diplopia.

Fonte: Site da OSN




           


<< Anterior Índice Próximo >>


Mais Recentes:
07/10/09 - 64% dos cegos do mundo são mulheres
07/10/09 - Diagnóstico precoce é essencial para evitar as doenças da visão
06/10/09 - Lentes de contato: mitos e descuidos que valem os olhos da cara
05/10/09 - Exercício físico é benéfico para pessoas com glaucoma
02/10/09 - Macacos daltônicos voltam a perceber as cores em tratamento


As opiniões expressas no texto acima são de responsabilidade exclusiva dos seus autores.