Início Conselho Brasileiro de Oftalmologia








7 usuário(s) online



Busca  
Login  






16/11/2008
Doenças da esclera

Na esclera as alterações do tipo inflamatório são as mais encontradas. De acordo com o local afetado, pode-se dividir essas alterações em episclerites e esclerites. Doenças esclerais também ocorrem em enfermidades metabólicas, degenerativas, neoplásicas e por traumatismo.

Episclerites são benignas, autolimitadas, superficiais e aparecem mais em mulheres. Um em cada três casos tem associação com doenças sistêmicas, sendo mais comuns as doenças do tecido conjuntivo como artrite reumatóide, granulomatose de Wegener, pan-arterite nodosa e lupus eritematoso sistêmico. Metade dos casos tem associação com doenças oculares, principalmente rosácea ocular, ceratoconjuntivite seca e ceratoconjuntivite atópica. As complicações oculares são pouco freqüentes.

Esclerites são graves, progressivas e com inflamação mais difusa dos tecidos. Apresentam quadro de dor ocular severa, com possível irradiação para face ipsilateral. São mais freqüentes em mulheres jovens e de meia-idade. Três em cada quatro casos têm associação com doenças sistêmicas. A associação mais comum é com doenças reumatológicas, principalmente artrite reumatóide, granulomatose de Wegener, panarterite nodosa e lupus eritematoso sistêmico. Também ocorrem em doenças infecciosas e podem estar associados a rosácea, lesão química e atopia. As complicações oculares são freqüentes e severas, incluindo perda ocular por perfuração, descolamento de retina, uveite, edema do nervo óptico, glaucoma e alterações corneanas.

Tratamentos
Episclerite
A maioria dos casos melhora espontaneamente em 7 a 15 dias. O tratamento geralmente é sintomático com compressas frias e lágrimas artificiais geladas. As episclerites infecciosas são tratadas de acordo com o agente etiológico identificado.

Esclerite
O tratamento das esclerites é realizado de acordo com o tipo e gravidade, algumas vezes em conjunto com hematologistas, oncologistas, reumatologistas. Esclerite anterior necrotizante sem inflamação (escleromalácia perforans) não tem tratamento eficaz para o quadro ocular, e o tratamento é direcionado para a doença reumatológica e para as complicações oculares.




           


<< Anterior Índice Próximo >>


Mais Recentes:
16/11/08 - 11 verdades médicas que até parecem mentira
16/11/08 - Doenças da esclera
16/11/08 - O que é Calázio
16/11/08 - O que é blefarite
16/11/08 - Tudo Sobre Cães Guias de Cegos (CG) - O Homem e o Cão